Código Florestal: a difícil missão de conciliar interesses

A discussão sobre a reformulação do Código Florestal brasileiro ganhou mais um capítulo neste fim de ano. Foi aprovada pelo Senado Federal uma nova proposta de texto com algumas modificações ao que havia sido aprovado pela Câmara dos Deputados. O processo volta a esta instância para ser referendado antes de ir para a aprovação ou veto da presidente, Dilma Rousseff.

Em seu editorial, o jornal O Globo, considera que “Se a Câmara dos Deputados referendar a decisão do Senado, como se espera, longos dez anos de tramitação do projeto do Código Florestal terão produzido um texto equilibrado sobre um tema estratégico, num terreno minado por paixões e interesses políticos e ideológicos”.

De fato, conciliar interesses tão diversos não é tarefa fácil. Na disputa pela conciliação, levantaram-se, inclusive, questões de conflitos de interesses, como o fato de um dos relatores do Código, o Senador Luiz Henrique da Silveira, do PMDB de Santa Catarina, ter recebido doações para a sua campanha eleitoral em 2010 de empresas causadoras de desmatamento e poluição e altamente interessadas na mudança da legislação.

Conflito de interesses e lobby em questões estratégicas como esta não são novidades no Brasil e enquanto o financiamento de campanhas não for público, dificilmente se evitará esse tipo de atitude. Por isso, a participação popular na discussão desses temas é fundamental para pressionar a opinião pública. É apostando nisso que o movimento ambientalista tem feito várias campanhas nas redes sociais e agora espera conseguir convencer a presidente a vetar o projeto.

Se por um lado os interesses dos produtores rurais, grandes e pequenos, precisam e devem se levados em conta, a visão dos ambientalistas que defendem a preservação da biodiversidade brasileira não pode ser deixada de lado. Nessa difícil missão de conciliar interesses tão diversos, a pergunta que não parece respondida é: qual é o projeto do Brasil para o uso sustentável de seus recursos no longo prazo? Nesse ponto, não há propostas claras e efetivas sendo divulgadas por nenhuma das partes envolvidas na discussão.
Fontes:

http://oglobo.globo.com/opiniao/novo-projeto-do-codigo-florestal-realista-3409240

http://www.terrachamando.com/index.php?option=com_content&view=article&id=287%3Arelator-do-codigo-florestal-no-senado-recebeu-doacoes-de-desmatadoras-e-carboniferas&catid=60%3Acodigo-florestal&Itemid=67#.TtbHcdSqYh4.facebook

http://oglobo.globo.com/blogs/blogverde/posts/2011/05/26/movimento-veta-dilma-ganha-as-redes-sociais-382724.asp

  • Print
  • Digg
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Add to favorites
  • email
  • Google Buzz
  • LinkedIn
  • Orkut
ERA
ERA
Related Posts

Leave a Comment